Artigo Catis

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

INFRAESTRUTURA PARA CENTROS DE ACESSO A TECNOLOGIAS PARA A INCLUSÃO SOCIAL (CATIS)

 

 

Com o processo de informatização e automatização de serviços e dos produtos de informação, passa a se ter uma preocupação com quem os utiliza, tendo como em vista as demandas da sociedade da informação.

Verificou-se que grande parte da população não tem acesso às informações que estão em meio digital/tecnológico. Visando investir em uma faixa da população alfabetizada, entretanto, carente de recursos, torna-se necessário a criação de Centros de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS), assim como outros setores tem desenvolvido projetos para diminuir o abismo que existe entre os incluídos e os excluídos na sociedade da informação.

No Brasil, a exclusão social atinge principalmente os analfabetos, pois eles representam uma grande parcela da sociedade e normalmente são carentes de informação básica.

Partindo desta reflexão, o desenvolvimento deste estudo irá trazer informações altamente relevantes sobre a forma necessária de se criar uma estrutura que consiga atender também os que até o momento não possuem acesso à informação e a recursos tecnológicos, além de observar como o profissional da informação pode adequar a informação existente para promover a inclusão digital e por consequência a cidadania, conseguindo assim ter uma estrutura preparada para atender a essa parte da população que precisa da informação não só para ser um usuário da tecnologia da informação, mas também para atuar como cidadão consciente de seus direitos ao obter a informação para melhorar seu padrão de vida e sua intelectualidade.

Toda a infraestrutura descrita da criação dos Centros de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS) foi desenvolvida no conteúdo do trabalho, tem como base as disciplinas ministradas em sala de aula e/ou no portal da Universidade Paulista (UNIP), as disciplinas são: Organização de Computadores, Fundamentos de Sistemas Operacionais, Lógica, Estatística, Princípios de Sistemas de Informação, Desenvolvimento Sustentável e Comunicação Aplicada.

1. Introdução
2. Ambientes do Centro de Acesso a Tecnologia Para a Inclusão Social
3. Recursos mínimos de hardware necessários
3.1. Notebook
3.2. Microcomputadores
3.3. Adaptadores de rede sem fio
3.4. Switch para conexão cabeada
3.5. Estabilizador de voltagem
3.6. Nobreak
3.7. Impressora Laser
3.8. Projetor multimídia
4. Sistema de Informação utilizado no balcão de atendimento
4.1. Visão Geral
5. Sistema operacional utilizado
5.1. Cortana
5.2. Edge
5.3. Velocidade e segurança
6. Preços e características dos recursos tecnológicos
6.1. Descrição dos equipamentos necessários
6.1.1. Microcomputadores
6.1.2. Notebook
6.1.3. Adaptador de Rede Sem Fio
6.1.4. Switch
6.1.5. Estabilizador de Voltagem
6.1.6. Nobreak
6.1.7. Impressora a laser
6.1.8. Projetor multimídia
7. Levantamento de preços dos Recursos de Tecnologia
8. Justificativa dos dados levantados sobre os recursos tecnológicos
8.1. Cuidados com os ativos da informação
9. Ações de sustentabilidade
9.1. Meio Ambiente e Desenvolvimento
10. Estratégia de comunicação do CATIS
10.1. Meios de Comunicação
10.2. Comunicação Interna
10.3. Comunicação Externa
10.4. Tipos de documentos
10.5. Feedback
11. Conclusão
12. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

1. Introdução

 

O contexto relacionado à infraestrutura para implantação de Centros Tecnológicos de Promoção Social é algo que requer uma grande atenção e um grande planejamento devido à alta complexidade do assunto, pois envolve grande parcela da população. No mundo contemporâneo um dos fatores de suma importância para o desenvolvimento econômico, social e cultural é o aproveitamento das oportunidades que as tecnologias de informação e comunicação têm podem oferecer. A sociedade acredita que o futuro do crescimento econômico está baseado na inovação, adaptação a mudanças tecnológicas e aproveitamento de oportunidades.

Existe um grande abismo que separa aqueles que têm acesso aos recursos tecnológicos de informação e comunicação, e as demais pessoas que usufruem dos benefícios da tecnologia. As pessoas que não tem acesso a estes recursos perdem inumeráveis oportunidades nos campos da educação, conhecimento, profissionalização, etc.

O resultado esperado com a criação de Centros Tecnológicos de Promoção Social é a inserção dos menos favorecidos na sociedade da informação, tornando possível criar um ambiente semelhante ao da população que dispõe do acesso às facilidades tecnológicas, criando assim uma cultura de inovação que amplie as oportunidades entre os jovens e os trabalhadores, que por sua vez passam a desenvolver habilidades baseadas na formação científica e tecnológica, que nos dias atuais são requisitos mínimos para competir no mercado de trabalho, além de promover o desenvolvimento humano.

Um dos principais objetivos deste projeto é disponibilizar instrumentos e facilidades para que grande parte dos excluídos participe de fato do processo de inclusão social, com o objetivo de reduzir os desequilíbrios regionais no país, e assim melhorar os aspectos relacionados com a melhoria no desenvolvimento econômico e também na qualidade de vida da população como um todo.

 

2. Ambientes do Centro de Acesso a Tecnologia Para a Inclusão Social

 

Balcão de Atendimento

Destinado à triagem e atendimento inicial do usuário e conta com três atendentes;

Sala de Assistência Jurídica

Reservado para os usuários tratarem situações jurídicas relacionadas a questões sociais, executado por um Advogado;

Consultoria de Psicologia

Atende os usuários que necessitam de apoio especializado em psicologia sobre questões de inclusão social;

Espaço de Assistência Social

Dá o apoio ao usuário com um assistente social;

Auditório de Palestras

Com capacidade para 250 pessoas assistirem palestras relacionadas à Promoção da Igualdade Social Tecnológica;

Laboratório de Informática

Para cursos e treinamentos relacionados à inclusão social e conta com 20 computadores;

Administração dos Centros Tecnológicos de Promoção Social

Feito para gerir a unidade e composta por seis pessoas;

Espaço de Atividades Culturais

Destinado à programação de atividades culturais.

 

Com base nos diversos ambientes citados acima, é inevitável falar nos recursos que são necessários ser despendidos para que todas as engrenagens deste sistema funcionem sem contratempos e de forma eficaz. Recursos estes que não são apenas dispêndios financeiros, mas também os recursos corretos relacionados à tecnologia necessária para a qualidade final e satisfação do trabalho executado, além de focar no alcance principal que é promover a igualdade social através da tecnologia.

 

 

3. Recursos mínimos de hardware necessários

 

3.1. Notebook

Pensando na praticidade e conveniência do auditório de palestras, será colocado 1(um) Notebook da marca Dell com as configurações descritas abaixo, pois as mesmas atendem bem os requisitos mínimos necessários para apresentação de palestras e eventos culturais, além de poder ser levado para demais ambientes do CATIS quando o uso do auditório não se fizer necessário.

Processador
6ª geração do processador Intel® Core™ i3-6006U (2 GHz, Cache de 3MB)
Sistema operacional
Windows 10, 64 bits – em Português (Brasil)
Memória RAM
4GB, DDR4, 2400 MHz
Disco Rígido (HD)
Disco rígido (HD) de 1TB (5400 RPM)
Placa de vídeo
Placa de vídeo integrada Intel® HD Graphics 520 (para processadores Core i3)
Tela
Tela LED HD (1366 x 768) de 14 polegadas, com antirreflexo;
Conectividade
Placa de rede Dell Wireless™ 1707 802.11 b/g/n + Bluetooth 4.0 (2.4 GHz, 1×1).

 

3.2. Microcomputadores

Para atender as demandas de recursos tecnológicos do Balcão de atendimento, da sala de Assistência Jurídica, da Consultoria de Psicologia, do Espaço de Assistência Social, do Auditório de Palestras, do Laboratório de Informática, da Administração e do Espaço de Atividades Culturais, será feito um investimento de 32 microcomputadores completos da marca Neologic que atendem bem os requisitos necessários que estão descritos abaixo:

Processador
Intel™ J1800 Dual CoreProcessador para tarefas simples, DUAL CORE. Número de núcleos: 2- Nº de threads: 2- Conjunto de instruções: 64-bit- Cache L2: 1 MB- Litografia: 22 nm- Frequência baseada em processador: 2.41 Ghz- Conjunto de instruções: 64-bit- Frequência de aumento: 2.58 GHz.
Memória RAM
4GB RAM DDR3 1333MHz
Disco Rígido (HD)
1TB Sata III
Monitor
Led Widescreen 18,5 Polegadas
Sistema Operacional
Windows 10.

 

3.3. Adaptadores de rede sem fio

Será utilizado como adaptador de rede sem fio 2(dois) equipamentos Access Point N300 Ubiquiti Long Range Unifi, que permite uma conexão de alta qualidade e suporta uma grande quantidade de conexões simultâneas, como se trata de um local de grande fluxo torna-se necessária uma conexão à internet eficiente para atender a demanda.
Esta Cisco Aironet Ap 1702i cumpre os requisitos crescentes de redes sem fio, oferecendo melhor desempenho e fornecendo velocidades Wireless Até 1200mbps. Este adaptador oferece um maior alcance com mais capacidade e confiabilidade.

 

3.4. Switch para conexão cabeada

Optamos pela utilização do Switch de 16 Portas com 100 Mbps da marca Multilaser. Ele permite que dispositivo compartilhe dados e arquivos com outros PCs, impressoras, LAN e outros. Sua taxa de Dados é de 10/100 Mbps (half-duplex); 20/200 Mbps (full-duplex) auto MDI/MDIX. Permite auto-learning e auto-aging para endereço MAC. Possui fonte externa de alimentação de energia.

 

3.5. Estabilizador de voltagem

Serão utilizados 32(trinta e dois) estabilizadores de energia da marca PowerEst, que é uma proteção ideal para os equipamentos eletroeletrônicos em geral, pois possuem duas características extremamente eficientes:

Auto diagnóstico de partida: Faz a análise prévia da rede elétrica antes de liberar a saída. Quando existe uma queda de energia, no retorno ela pode vir a níveis altos e queimar o equipamento. O estabilizador PowerEst evita que isso aconteça.

Partida com cruzamento no zero: Aumenta a vida útil do equipamento, pois ele somente será energizado quando a tensão instantânea estiver igual a zero (evita ser ligado no pico de tensão).

 

3.6. Nobreak

Nobreak com capacidade mínima de 1,5 KVA e autonomia para suportar os servidores por no mínimo 20 minutos;

  1. Entrada: Tensão nominal Bivolt, fator de potência de entrada > 0,95% e frequência da rede 60 Hz +/- 6%;
  2. Proteção contra descarga total das baterias com sinalização antes do desligamento do Nobreak;
  3. Proteção contra surtos de tensão na entrada e na saída (proteção contra fase e neutro, fase e terra e na saída entre fase e neutro);
  4. Proteção contra sobre-tensão e sub-tensão com retorno automático de rede;
  5. Inversor sincronizado com a rede e com proteção contra sobrecarga e curto-circuito;
  6. Baterias acomodadas no próprio gabinete do equipamento;
  7. Chave liga/desliga com proteção contra desligamento acidental;
  8. Alarme audiovisual intermitente, sinalizando queda de rede, final do tempo de autonomia e Condições anormais de funcionamento;
  9. Permitir ser ligado na ausência de rede elétrica.

 

3.7. Impressora Laser

Será necessário o uso de uma impressora a laser por se tratar de um tipo de impressão relativamente barata e com alta velocidade de impressão para atender as várias áreas do CATIS, portanto, optamos pela Impressora HP LaserJet M102W G3Q35A com Wireless que imprime até 22 páginas por minuto, possui um ciclo de trabalho mensal de 10.000 páginas. Com alta tecnologia, esse equipamento possibilita impressões em preto e branco com alta resolução, garantindo que os documentos do dia-a-dia possam ser impressos com a definição que desejada. Seja em ambientes domésticos ou corporativos de pequeno e médio porte, a M102 será muito eficaz na forma de imprimir, já que garante agilidade, qualidade e simplicidade na forma como serão impressos os documentos.

 

3.8. Projetor multimídia

Para utilização no auditório de palestras, será utilizado 1(um) projetor Powerlite S27 da marca Epson, pois se trata de um projetor com excelente custo-benefício para pequenos e médios ambientes, como salas de reunião, salas de aula,etc. O brilho de 2700 lumens deste modelo garante imagens claras e vibrantes mesmo em ambientes iluminados e a sua tecnologia 3LCD cria projeções com cores muito mais reais e naturais. Além de economizar energia com lâmpada ultra-eficiente E-Torl, que gera mais lumens por watt e pode durar até 10.000 horas. Este projetor também oferece muito mais liberdade para tornar as apresentações muito mais dinâmicas através da projeção sem fio.
Com o adaptador LAN Wireless é possível projetar e controlar o projetor através de notebooks, tablets e smartphones, sem a necessidade de cabos.

 

4. Sistema de Informação utilizado no balcão de atendimento

 

Com base no conteúdo da disciplina de Princípios de Sistemas de Informação, foi criado um projeto de sistema de informação que os funcionários do Balcão de Atendimento irão utilizar. É importante destacar as funcionalidades deste sistema, para que as mesmas sejam minuciosamente direcionadas ao objetivo final do Centro de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS). Com base nas funcionalidades necessárias, foi criado Sistema de Gestão – SISCAPIS.

 

4.1. Visão Geral

O SISCAPIS é uma aplicação desenvolvida para atender as necessidades de um sistema que automatizasse o agendamento de Consultas no CAPIS, tornando mais rápido o serviço do Balcão de Atendimento.
O SISCAPIS é uma aplicação rápida, eficiente, robusta, desenvolvida de maneira simples de forma a dinamizar o atendimento no CAPIS.

A escolha pela plataforma Windows como base para o desenvolvimento e para a implantação do Sistema se deu por diversos fatores, entre os quais podemos destacar:

  1. O Windows é o sistema operativo mais utilizado em todo o mundo. É amplamente aceito pelo Mercado, tendo aplicações consolidadas como a suíte Office entre outras.
  2. A praticidade e familiaridade que o Windows já conquistou com os usuários.
  3. Excelente compatibilidade com dispositivos de Hardware e de gerencia extremamente fácil.

O Sistema é composto por módulos interdependentes. Os módulos Cadastro e Encaminhamento que realizam funções de cadastro dos usuários e agendamento de Consulta. No modulo de Atendimento, onde são definidos horários para o atendimento mais rápido possível, o Sistema utiliza de um serviço de Pesquisa e Agendamento que permite encontrar horários e datas disponíveis para o próximo atendimento de forma rápida e eficiente (Ver Fig. 2)

Finalmente o Sistema irá gerar uma guia de Atendimento para o usuário confirmando a consulta. Seguem abaixo as telas do sistema em funcionamento:

Figura 1. Tela inicial de Cadastro

Figura 2. Tela de Atendimento

Figura 3. Guia de Atendimento

 

 

5. Sistema operacional utilizado

 

O projeto desenvolvido para criação dos Centros de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS) visa a inclusão social e digital de uma forma mais fácil, prática e rápida, por se tratar de um público que até então não obteve convivência com recursos tecnológicos tão avançados, optamos pela utilização do sistema operacional Windows 10 que é uma plataforma muito mais intuitiva, simples e abraça todos os dispositivos possíveis, desde os desktops comuns até os tablets e smartphones. E não é para menos: a Ms deixou claro que a ideia é colocar o novo software em aparelhos diferentes, mas sem alterar sua essência. Na prática, isso significa que a experiência de uso do sistema será a mesma independentemente do produto (notebook, mobile, etc).

Salvas pequenas diferenças entre uma plataforma e outra, o novo Windows será o mesmo tanto no desktop quanto no mobile. Para intensificar esse conceito, a MS confirmou que haverá uma única loja de aplicativos para ambos os serviços, e que cada ferramenta disponível nessa central de apps também será adaptável e otimizada de acordo com o dispositivo que o usuário estiver em mãos.

O Windows 10 em qualquer que seja o dispositivo instalado já conta com as principais aplicações que poderão ter seu uso e experiência intensificada pelos usuários do CATIS, aplicativos como Word, Excel e PowerPoint pré-instalados de fábrica, isso se torna algo muito positivo, pois no dias atuais ter conhecimento dessas aplicações é algo primordial na vida pessoal e profissional do ser humano. Além disso, o OneDrive, serviço na nuvem da MS, também poderá ser acessado a partir do novo Windows, e poderá sincronizar automaticamente todos os arquivos, documentos e fotos na nuvem para visualizá-los no tablet, PC ou qualquer outro aparelho equipado com Windows 10.

O menu Iniciar no Windows 10 não tem segredo para os usuários ele possui uma interface intuitiva, e um conjunto de blocos dinâmicos. Esse agrupamento fica logo ao lado da coluna esquerda na qual são exibidos os programas e a barra de busca universal o que facilita muito o uso.

5.1. Cortana

A Cortana é um assistente do Windows para facilitar a experiência do usuário, ela poderá ser facilmente acessada pelo menu Iniciar. Ela chamará o usuário pelo nome e dará respostas mais completas que outros serviços similares no mercado, como a Siri, do iOS, e o Google Now, do Android. Por exemplo, quando você perguntar sobre o clima, a plataforma fornece um mapeamento do tempo não apenas naquele dia, mas também para todo o restante da semana. E ainda faz avisos em quais dias existem as maiores chances de chover ou fazer sol.

A Cortana também tem suporte a comandos de voz. Além de buscas na internet, a assistente pode fazer varreduras em arquivos armazenados em pastas no computador ou na nuvem, agendar compromissos, iniciar ou pausar a reprodução de músicas, enviar e-mails e fazer lembretes de coisas importantes que você não pode esquecer.

5.2. MS Edge

Mais rápido e limpo que o ultrapassado Internet Explorer, o Edge dá um foco maior na navegação, sem deixar de lado algumas funcionalidades interessante. Entre suas funcionalidades está a possibilidade de fazer anotações, rabiscos e desenhos em cima do site acessado, além de integração com a assistente Cortana.

Há também um modo de leitura que formata as páginas da web e as transforma em uma espécie de PDF , como se fosse um livro. Dessa forma, o programa elimina propagandas ou links indesejados para você se concentrar naquilo que realmente importa. E se você não tiver tanto tempo ou caso sua conexão com a internet esteja indisponível, basta salvar as páginas que quiser para que você as leia depois.

5.3. Velocidade e segurança

O Windows 10 chega com novos recursos para garantir mais segurança que seus antecessores. De todas as novidades, três se destacam mais: Device Guard, MS Passport e Windows Hello. O Device Guard é voltado para empresas. Com ele, os chefes poderão bloquear dispositivos sob ameaça de malware ou qualquer outro programa que não esteja em uma lista de apps de confiança criada pela própria companhia ou nas ferramentas listadas pela Windows Store. Os líderes terão controle sobre o que fica ou sai desse ranking, e o sistema envia notificações aos funcionários dizendo se aquela ferramenta em utilização é segura.

Já o MS Passport e o Windows Hello são duas funções que trabalham em conjunto. Enquanto o Passport elimina a necessidade de você ter sempre que digitar uma senha para acessar o PC, o Hello é baseado em recursos de biometria, permitindo que você desbloqueie o computador pela íris do olho, impressão digital ou reconhecimento da face — desde que a sua máquina tenha os componentes requisitados para esta tarefa.

Além da segurança, a velocidade é outro ponto fundamental do Windows 10, ainda mais se levarmos em conta o salto em rapidez que aconteceu entre o Windows 7 e o 8.1. Agora que o lançamento do novo Windows está aí, ser veloz é crucial, especialmente porque um público em específico será beneficiado com as melhorias: os gamers. Isso porque o DirectX 12 fará sua estreia na nova plataforma da MS, oferecendo, assim, uma forma mais completa para que os desenvolvedores consigam criar experiências com maior desempenho.

 

 

6. Preços e características dos recursos tecnológicos

 

Com base no conteúdo da disciplina de Estatística é uma das partes primordiais para a criação dos CATIS fazer um levantamento dos preços e características dos recursos de Tecnologia da Informação que serão utilizados (Computadores, Impressoras, Licenças de Sistemas Operacionais), bem como apresentar tamanho de amostras, tabelas e cálculos estatísticos.

6.1. Descrição dos equipamentos necessários:

6.1.1. Microcomputadores

Faremos a utilização de 32 computadores desktop distribuídos em todo o ambiente do CATIS, sendo 3(três) computadores no balcão da recepção, 1(um) na sala jurídica, 1(um) na sala de Consultoria de Psicologia, 1(um) no Espaço de Assistência Social, 20(vinte) no Laboratório de Informática, e outros 6 (seis) na Administração dos Centros Tecnológicos de Promoção Social.

6.1.2. Notebook

Seu uso principal será no Auditório de Palestras para promover apresentações, palestras dentre outros eventos que são possíveis serem realizados neste ambiente, além do mesmo ser um computador portátil que poderá ser utilizado em outros ambientes quando não estiver sendo utilizado no Auditório de Palestras.

6.1.3. Adaptador de Rede Sem Fio

Buscamos algo colocar um serviço de Rede sem Fio de alta qualidade, tendo em vista hoje vários ambientes públicos, e/ou com alto fluxo de pessoas, este tipo de serviço deficitário, muitas vezes com baixa qualidade de sinal e dificuldade no tráfego de dados, seja por ineficiência da rede ou por congestionamento da mesma, pensando nisso será instalada uma rede sem fio com equipamentos de alto desempenho para atender os usuários com uma experiência de conexão além do esperado. Optamos pela instalação do AP (Access Point) de alta performance – equipamento que possibilita a interconexão de clientes de uma rede sem fio com uma rede cabeada por meio de ondas de rádio.

6.1.4. Switch

Neste ambiente é indispensável o uso de Switch para utilização da rede pelos computadores de mesa (desktop), para o melhor aproveitamento dos recursos detectamos que seriam necessários 2 equipamentos de Switch com 16 portas cada um pra conseguir atender a demanda dos computadores existentes no CETIS.

6.1.5. Estabilizador de Voltagem

O estabilizador é um equipamento que tem a função de proteger aparelhos eletrônicos das variações de tensão que recebe da rede elétrica. Portanto, suas tomadas devem trazer energia estabilizada, diferente da energia que vem da rua, exposta a variações.
As redes elétricas estão suscetíveis a inúmeros problemas que podem danificar os aparelhos, entre variações, quedas de energia etc. As redes brasileiras, em especial, são notórias por questões dessa natureza, como os famosos apagões que acontecem ao redor do país.
Em eventos assim, é muito comum que haja prejuízos materiais, como queima de eletroeletrônicos, por causa da brusca queda de energia. Para evitar estes e outros prejuízos, utilizaremos estes equipamentos que têm as funções de estabilizar, limpar e manter a energia fornecida (com baterias, caso dos nobreaks) por um curto período. O estabilizador é um exemplo desse tipo de equipamento.

6.1.6. Nobreak
Tem uma função similar ao estabilizador tradicional, porém com o diferencial de contar com uma bateria interna. Ter um nobreak (também conhecido como UPS – Uninterruptible Power Supply ou Fonte de Energia Ininterrupta, em português) é garantir que o seu eletrônico não terá danos caso a energia caia ou haja picos. Isso acontece porque, primeiramente, o equipamento faz com que a energia passada ao computador, por exemplo, seja “limpa”. Ou seja, livre de oscilações e protegida dos principais problemas elétricos. Além disso, caso falte energia, o nobreak mantém o eletrônico ligado por volta de 20 minutos para que seja possível salvar documentos e desligá-lo em segurança o que será de grande valia para a segurança dos dados e dos componentes eletrônicos do CATIS.

6.1.7. Impressora a laser
A impressora a laser tem uma tendência de ser praticamente o dobro do preço do que as impressoras de jato de tinta, mas apesar disto o seu custo de funcionamento é algo bastante inferior comparando com outros modelos. Para que se tenha uma ideia o pó de toner é mais barato e dura muito mais tempo ao passo que você esgota os caros cartuchos de tinta rapidamente. Por este motivo na maioria dos escritórios é utilizada uma impressora laser para a impressão de documentos de texto longos. E com isto na maioria dos modelos essa eficiência mecânica aparece de forma complementada pela eficiência de todo o processamento, o que irá influenciar positivamente o CATIS.

6.1.8. Projetor multimídia
A utilização de recursos visuais como o projetor multimídia permite que os participantes de palestras e demais eventos acompanhem o desenvolvimento dos atos praticados. Com isso, é possível obter de forma mais demasiada a atenção dos participantes, evitando interrupções. Esses recursos são importantes também para que o palestrante ou orientador e a equipe de apoio possam ter um facilitador para o bom prosseguimento de suas devidas apresentações. Existem vários tipos de equipamentos disponíveis e sua escolha foi feita a partir do espaço disponível e da quantidade de pessoas suportadas por cada sessão no auditório de palestras.

 


 

7. Levantamento de preços dos Recursos de Tecnologia

 

Foram efetuados três orçamentos de diferentes empresas de comércio eletrônico, este tipo de comércio foi verificado se destacou pelo melhor aproveitamento dos recursos financeiros para efetuar a compra dos equipamentos necessários para o CATIS.

Veja tabela 1 de orçamento abaixo:

Descrição do Item Quantidade Preço Unitário Preço Total

  1. Notebook para auditório de palestras 1 R$ 2.000,00 R$ 2.000,00
  2. Microcomputador (Tipo Estação de Trabalho) 32 R$ 1.200,00 R$ 38.400,00
  3. Adaptador de rede sem fio 2 R$ 500,00 R$ 1.000,00
  4. Switch (mínimo 16 portas) 2 R$ 100,00 R$ 200,00
  5. Estabilizador de Voltagem 32 R$ 100,00 R$ 3.200,00
  6. Nobreak 3 R$ 500,00 R$ 1.500,00
  7. Impressora Laser 1 R$ 800,00 R$ 800,00
  8. Projetor Multimídia 1 R$ 2.000,00 R$ 2.000,00

TOTAIS 40 R$ 49.100,00

Tabela 1. Preços dos recursos

 

8. Justificativa dos dados levantados sobre os recursos tecnológicos

 

Um dos pontos extremamente relevantes no projeto do CATIS é o investimento responsável, para que o custo benefício dos dispositivos e sistemas utilizados tenham o melhor aproveitamento possível, pois este aspecto pode ser visto de uma forma lógica para a utilização fim do projeto, que por sua vez não torna de grande importância a implantação de recursos tecnológicos com características ou configurações de hardware e software muito superiores à necessidade real para o andamento do projeto, pois dependendo dos itens tecnológicos, o dispêndio causado pode ser muito grande por algo que talvez não seja necessário. Portanto, é imprescindível para o nosso projeto, possuir uma cultura de redução de custos e corte de gastos com responsabilidade e que não comprometam o resultado final.

Muitos pensam que para reduzir os custos é necessário apenas realizar redução no quadro de funcionários e executar modelos de gestão enxutos. Quando falamos em redução de custos, devemos prestar atenção não somente em gastar menos, mas também, nos impactos que esse processo gera na produtividade do trabalho. Uma cultura de redução de custos inteligente visa procurar tudo aquilo que não é necessário ou que já não é mais eficiente tecnologicamente para o funcionamento do projeto. Muitas vezes, principalmente quando falamos em ativos de TI, são despendidos muito mais valores e recursos tecnológicos do que precisam por não possuírem um sistema de gestão de ativos eficiente que seja capaz de monitorar e acompanhar todos os processos, movimentações, depreciação e funcionalidade de seu inventário de Tecnologia e Informação.

Além disso, possuir um sistema de monitoramento de ativos eficiente torna muito mais fácil para o negócio se organizar de forma eficaz, maximizando as capacidades de atendimento e crescimento dos Centros de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS).

8.1. Cuidados com os ativos da informação

Recentemente, um estudo do Gartner apontou que 70% dos gastos que as empresas têm com tecnologia da informação estão relacionados com a infraestrutura. Logo, torná-la mais inteligente e menos custosa também é um desafio a ser transposto. E é aqui que a cloud computing (ou computação em nuvem) se mostra uma ótima escolha.
Com ela, tudo que precisa ser feito internamente na infraestrutura passa a ser de responsabilidade de um provedor; você só precisa pagar pelos serviços contratados. As preocupações com servidores, aplicações e hardwares não são mais suas — nem os custos relacionados a eles — pois você receberá tudo de forma virtualizada, sempre atualizada e com disponibilidade superior à tradicional.

 

9. Ações de sustentabilidade

 

O conceito de desenvolvimento sustentável surgiu efetivamente no final da década de 1970 e início da década de 1980, tendo como conceito mais utilizado e tradicional no mundo inteiro, a definição publicada no Relatório de Brundtland no ano de 1987 e que foi elaborado por World Commision on Environment and Development(WCED). No qual define desenvolvimento sustentável como o desenvolvimento que atende às necessidades das gerações presentes, sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem as suas próprias necessidades.

9.1. Meio Ambiente e Desenvolvimento

No ano de 2002, chamada de Rio-92 ou Cúpula-92, realizada no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Este evento reuniu lideres governamentais do mundo inteiro, todos preocupados em discutir e encontrar soluções para os problemas ambientais que estavam surgindo devido à intervenção negativa do homem sobre o meio ambiente.

Após discussões sobre o assunto, onde as preocupações eram diferentes do que haviam sido discutidos 20 anos atrás na Conferência de Estocolmo, não estando direcionadas para avaliar o crescimento econômico e demográfico em relação à conservação ambiental, mas sim, criar mecanismos e soluções, onde cada líder, dos 170 países presentes, saísse desta conferência com um plano de ação a ser adotado no seu país.

A conferência Rio-92 teve como importantes implantações a Carta da Terra ou também chamada de Declaração da Terra e a Agenda 21, bem como a criação do Fundo Global do Meio Ambiente do Banco Mundial. Para Oliveira (2008, p. 25), “A agenda 21 foi importante em divulgar e popularizar o conceito de desenvolvimento sustentável […] processo de construção de um plano de ação que deveria ser participativo e democrático”.

A conferência Rio-92 teve como importantes implantações a Carta da Terra ou também chamada de Declaração da Terra e a Agenda 21, bem como a criação do Fundo Global do Meio Ambiente do Banco Mundial. Para Oliveira (2008, p. 25). “A agenda 21 foi importante em divulgar e popularizar o conceito de desenvolvimento sustentável […] processo de construção de um plano de ação que deveria ser participativo e democrático.”

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2000, p. 43) descreve que “A base conceitual da agenda 21 aponta, em síntese, para a necessidade de construir uma agenda de transição, que abranja as questões centrais – reduzir a degradação do meio ambiente e, simultaneamente, a pobreza e as desigualdades e contribua para a sustentabilidade progressiva”.
Fialho et al. (2008, p. 41) relatam algumas atitudes indicadas e esperadas pela Agenda 21 em relação ao desenvolvimento sustentável que são:

  1.  Reconhecer a relação entre questões ambientais e de desenvolvimento;
  2. Utilizar a energia de forma mais eficaz e desenvolver fontes de energias renováveis, como o vento e a energia solar
  3. Promover a educação ambiental dos agricultores;
  4. Plantar novas florestas e replantar as florestas danificadas;
  5. Eliminar a pobreza, ajudando os pobres a ganhar a vida de forma a não danificarem o ambiente;
  6. Fixar multas para as pessoas e indústrias que poluem as águas;
  7. Preparar planos nacionais para o tratamento de lixos;
  8. Exigir que as indústrias adotem métodos de produção mais seguros e limpos;
  9. Mudar padrões de consumo que destroem a economia.

No ano de 1997 na cidade de Kyoto, no Japão, através da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança no Clima com representantes de 166 países é aprovado o Protocolo de Kyoto com o objetivo de reduzir a emissão de gases poluentes que provocam o efeito estufa. Este protocolo internacional demonstra que os países desenvolvidos são os responsáveis pelo excesso de gases poluentes na atmosfera, bem como que os países em desenvolvimento tendem a aumentar os níveis de gases poluentes em virtude do aumento de industrialização e, que padrões ambientais diferenciados sejam adotados por cada país em função do nível de emissão destes gases na atmosfera. “O conceito básico acertado para Kyoto é o da “responsabilidade comum”, porém diferenciada.” (FIALHO et al., 2008,p. 43).
O Protocolo de Kyoto tem como objetivo, conforme Diniz (2001, p. 147), “[…] estabilizar as concentrações de gases de efeito estufa sem danos ao desenvolvimento econômico sustentável […]”, ou seja, garantir a sobrevivência das gerações futuras, sem que haja aquecimento global e mudanças na biodiversidade.

 

10. Estratégia de comunicação do Centro de Acesso a Tecnologias Para a Inclusão Social (CATIS).

CABRAL (2004) conceitua a inclusão digital comparando-a a alfabetização digital:
[…] iniciativas de inclusão digital são aquelas que visam oferecer à sociedade “os conhecimentos necessários para utilizar com um mínimo de proficiência os recursos de informática e de telecomunicações existentes e dispor de acesso físico regular a esses recursos”.

A inclusão digital se assemelha, portanto, à ideia de alfabetização digital, numa equivalência com a perspectiva da alfabetização no processo de inclusão social, voltando o foco para aqueles que também se encontram no próprio contexto de exclusão social, acrescentando a temática da tecnologia digital no sentido de somar esforços para atenuar essa diferença.

A História da Comunicação evoluiu no mesmo ritmo da história da humanidade, pois sempre foram passadas de um para o outro, de tal forma a expandir as descobertas. Os meios de comunicação são extensões do nosso corpo, e nossas mensagens, do nosso sentir e pensar, o rádio e o lápis, extensões do nosso falar e pensar e dos nossos dedos, respectivamente. Uma prensa reproduz infinitamente a ideia colocada numa matriz, o telefone enviam imagens e mensagens para qualquer lugar do mundo, a internet nos conecta ao mundo, a um show de informações. Significa que de onde estamos podemos receber som, imagem e mensagem de pontos remotos em relação ao nosso. Cada um de nós pode ser um repórter, redator, editor, apresentador, mesmo que seja de um infojornal. Não há uma decisão em nossas vidas que não tenha refletido, mesmo que remotamente, o eco dessas mensagens.

Na pré-história, a comunicação era feita através de gestos, posturas, grunhidos, sem que o homem rudimentar soubesse correlacionar objetos e seu uso, com a mensagem que desejava passar, e quando se aprendeu a fazer essa relação, repassava aos demais através da repetição.Após esse período, os sumérios foram os percussores da escrita cuneiforme, e com o passar do tempo e aperfeiçoamento desta técnica, surgiu a tipografia, dando início à era da Comunicação Social. Desde os primórdios da humanidade até os dias atuais, a comunicação evoluiu de tal forma que nos dias atuais é impossível controlar a propagação de uma mensagem que é lançada nos meios de comunicação disponíveis. Celular, internet, smartphones são cada vez mais comuns na vida das pessoas, facilitando assim a comunicação entre as pessoas, mesmo que estejam em lugares distantes e incomuns.

10.1. Meios de Comunicação

A comunicação humana pode ser feita de diferentes formas. Diversos meios são utilizados pela humanidade para que ocorra a troca de informação, ideias, sentimentos e pensamentos.
Os mais diversos meios de comunicação:

• Telefone;
• Rádio;
• Carta;
• Fax;
• Telegrama;
• Jornal;
• Livro;
• Revista;
• Cinema;
• Teatro;
• Televisão;
• Cartazes;
• Comunicação direta via rádio;
• Mensagens sms;
• E-mail;
• Internet;
• Intranet;
• Mensagens instantâneas (Tipo Messenger);
• Chamadas telefônicas por sistemas on-line.

Os diversos meios de comunicação vieram para facilitar o dia a dia das pessoas, em qualquer circunstância, que se comunicam.

10.2. Comunicação Interna

Um sistema de comunicação é bom quando não se nota que ele existe. Uma organização se comunica de forma perfeita, quando os empregados se comunicam de maneira contínua com os escalões superiores, inferiores e de mesmo nível de organização; e quando os empregados e gerentes contam a mesma história da empresa para os clientes, os acionistas, o governo, a comunidade e outros públicos.

Nessa citação de CORRADO, Frank M. – ‘A força da comunicação’, o autor descreve como seria o modelo ideal para comunicação na empresa. O (CATIS) adota esse modelo de comunicação interna. O escritório foi planejado para que diversas áreas se integrem, mas cada setor tem sua área específica, delimitada por paredes divisórias. A diretoria também se apresenta no mesmo modelo, facilitando o acesso aos interessados, permanecendo de maneira acessível a qualquer colaborador.

Para integração e comunicação entre funcionários, departamentos e setores, observamos que no setor administrativo a empresa os faz através da intranet. Uma vez que a cultura organizacional é semiaberta, o departamento de pessoal interage diretamente, repassando informações deliberadas pelo departamento competente, utilizando os seguintes recursos:

• Quadro de avisos;
• Boletins informativos;
• Ligações através dos ramais;
• Chamada de conexão direta via rádio;
• E-mails.

Além disso, a empresa pratica a comunicação verbal. É comum as informações serem passadas por um diretor ou pessoa responsável por determinado setor dentro da empresa. O (CATIS) acredita que a relação interpessoal se fortalece com atitudes como essa.

10.3. Comunicação Externa

A área Comercial utiliza um recurso de CRM² para analisar os clientes e replicar informações aos representantes para que promovam de forma simples (banners, e-mails).
O (CATIS) utiliza as seguintes ferramentas nesta forma de comunicação:

• E-mails;
• Telefonia fixa;
• Chamada de conexão direta via rádio;

A comunicação externa também está presente em negociações com fornecedores, assuntos administrativos e fiscais, além do contato diretamente com os colaboradores para solução de qualquer tipo de problema.

10.4. Tipos de documentos

A empresa utiliza documentos do tipo memorando, circular, folhetos e carta. Grande parte desses documentos é repassada via e-mail.
Documentos impressos e assinados são utilizados com frequência, pois na maioria das situações é exigida a impressão do mesmo.

Com a tecnologia de informação atual, grande parte dos documentos tornou-se eletrônicos, e são legalmente validadas através de uma assinatura digital, aceita por órgãos do governo, instituições financeiras, entre outros.
Para comunicação externa, usa o e-mail como ferramenta de comunicação com seus clientes já fidelizados para receber pedidos, confirmação de entrega dos seus produtos, entre outras.

Além disso, a empresa procura manter uma relação próxima com seus clientes fidelizados e os candidatos a se fidelizarem. O setor comercial frequentemente efetua visitas para demonstração de portfólio, novos produtos. Alteração na negociação com clientes, em produtos, ou outro item previamente acordado, são feitos através apêndice nos contra já estabelecidos.

10.5. Feedback

O recurso Feedback é amplamente utilizado, feito de forma constante para obter informações que possam ser úteis para melhorias em processos, atendimentos e demais setores.

 

11. CONCLUSÃO

 

No Brasil, não é viável enfrentar a inclusão digital sem levar em conta o alto analfabetismo. Embora o país conte com a participação de vários segmentos da sociedade, os recursos governamentais ainda são insuficientes. Sem contar que os recursos humanos também são escassos, pois os profissionais da área não atuam diretamente na promoção da educação e do bem-estar social.

Foram apresentadas algumas das razões para que façamos o uso do sistema interno do CATIS e do Sistema Operacional Windows 10, que foram desenvolvidos para agradar públicos de todos os tipos, mesmo que estes sejam novatos, que talvez nunca tenham utilizado a plataforma da aplicação interna ou o S.O. Windows.

Demonstramos também os recursos tecnológicos que são necessários para que conseguíssemos atingir com qualidade o maior número de pessoas pelo projeto de inclusão social por meio da tecnologia, recursos estes que até então se mostravam intangíveis para os usuários que em sua maioria, se trata de pessoas tecnologicamente leigas.

O principal foco do projeto foi proporcionar à população menos favorecida através de cursos, palestras, oficinas tecnológicas dentre outros que o acesso aos meios e às facilidades das Tecnologias da Informação podem ser alcançadas, capacitando-as na prática básica das técnicas computacionais, voltadas tanto para o aperfeiçoamento da qualificação profissional, quanto para a melhoria do ensino, difusão e popularização da ciência por meio dos instrumentos de divulgação e primando pelo desenvolvimento sustentável que engloba o desenvolvimento e formação do cidadão, permitindo a apropriação do conhecimento pela comunidade e possibilitando o trabalho colaborativo em ambientes interligados em rede e inseridos na Internet.

 

12. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BAGGIO, Rodrigo. A sociedade da informação e a infoexclusão. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p.16 -21, maio/ago. 2000.
BAPTISTA, Sofia Galvão. Bibliotecário autônomo versus institucionalizado: carreira; mercado de trabalho e comprometimento organizacional. 1988. 234 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)- Universidade de Brasília, Brasília, 1988.
BOTELHO, T. M.; BAPTISTA, S. G.; AMARAL, S. A. Informação e sociedade: uma sociedade inteligente em transformação In: CONGRESSO LATINO AMERICANO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 1994, Belo Horizonte. Anais… 1994. Belo Horizonte: [s.n.], 1994. p. 438-457.
CABRAL, A. Sociedade e tecnologia digital: entre incluir ou ser incluída. Disponível em: . Acesso em: 2017.
CONSELHO EMPRESARIAL BRASILEIRO PARA O DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL. Sustentabilidade empresarial: um ciclo a ser encontrado. 2006.
Disponível em:
.
Acesso em: 5 maio de 2017.

COMISSÃO INTERMINISTERIAL PARA PREPARAÇÃO DA CONFERÊNCIA DAS
NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. O desafio
do desenvolvimento sustentável. Brasília: Cima, 1991.
REVISTA BRASILIS. Sustentabilidade nas Empresas. . Acesso em 24 de maio de 2017.

 

 

Artigo desenvolvido por:

DIOGENES FERNANDES DA SILVA
DOUGLAS ALVES
LUIZ RICARDO SILVA VIANA
RENATO DE OLIVEIRA LUCENA
THEOTONIO NUNES FILHO